edtudar pode ser divertido

Estudar pode ser divertido? 6 dicas para tornar os estudos mais prazerosos!

Atualmente, muitos são os conflitos que vivenciamos no contexto escolar e até mesmo dentro do ambiente familiar, relacionados aos nossos filhos e a rotina de estudos. Para aprender é necessário e indispensável ter um fator simples, mas que as vezes se torna distante da realidade de nossos alunos: O ENVOLVIMENTO!

Estudar é uma tarefa que exige algumas habilidades como: concentração, atenção, organização e raciocínio.  Exige ainda uma outra habilidade que pouco é falada, mas que faz toda diferença no processo de ensino aprendizagem: se divertir ao aprender.

Em algum momento você já   parou para pensar que estudar pode ser divertido? E que aprender vai além do contexto de sala de aula?

Nos dias de hoje, nossas crianças e adolescentes são cercados de tecnologias, muita informação e um bombardeio de soluções fáceis e práticas, que acaba fazendo alusão que a escola é chata e sem graça, e que os professores são metódicos.  E aí? Como nós, professores, mediadores, pais e especialistas podemos despertar o interesse de nossas crianças para que o ensino passe ser divertido e diferente?

Embora as pessoas saibam da importância da educação para o desenvolvimento do ser humano, fazer com que nossas crianças e adolescentes compreendam isso é um grande desafio.

Por isso, no artigo de hoje vamos te oferecer algumas dicas que podem fazer diferença na vida escolar do seu filho(a) e também no aprimoramento da dinâmica de estudo da sua casa.

Dica 1: Insira uma atividade lúdica antes do para casa – A atividade de para casa é essencial para que a criança fixe os conteúdos aprendidos na aula. Por isso, porque não deixar o ambiente alegre e animado? Antes do para casa, faça um jogo de memória, quebra cabeça, um piquenique divertido, uma pintura facial e o que mais sua imaginação permitir e o que a criança gostar. Após a preparação do contexto, comece o para casa. Reserve um espaço somente para esse momento, isso aumenta a concentração e foco.

Dica 2: Crie metas e rotinas com seu filho. A organização faz toda diferença! Dê sempre a ele reforços positivos, afinal, todos nós gostamos de elogios. É necessário motivá-lo para que possa avançar diante dos desafios. Quando criamos uma rotina, damos previsibilidade a criança e a ajudamos a construir uma relação melhor com a hora de estudar. É importante ainda que a rotina seja estabelecida junto com ela, em comum acordo, para que a criança se sinta pertencente do processo, o que facilitará o cumprimento da rotina e das metas estabelecidas.

Dica 3: Tenha tempo para brincadeiras livres – um tempo do dia para “somente” brincar. A brincadeira é um momento de simbolizar e faz toda diferença no desenvolvimento humano. Você sabia que brincar de casinha, cozinha, boneca, areia e até mesmo de escolinha trabalha em seu filho habilidades como saber planejar, organizar, seriar e até mesmo resolver problemas na vida adulta?

 Então, use e abuse da criatividade, use a imaginação, afinal, isso é um exercício mental que faz o nosso cérebro ficar ativo!

Dica 4: Tenha em casa jogos pedagógicos –  Use e abuse   de jogos como quebra cabeça, massinha, memória, damas, bolinha de gude…  Estes jogos ajudam no aprimoramento das nossas funções cognitivas como: pensar e agir, capacidade de argumentação e senso crítico. Os jogos nos ajudam a desenvolver a capacidade de raciocínio e planejamento, e o melhor, a gente aprende brincando!

Dica 5: Faça uso do concreto e de recursos visuais – Na matemática, por exemplo, use atividades práticas para exemplificar o aprendizado, como palitos, massinha, bolinhas, feijão entre outros. O concreto ajuda na organização do pensamento, na construção de situações problemas e na esquematização de respostas. Não basta entender o resultado, é necessário entender todo o processo.

Dica 6: Utilize as ferramentas tecnológicas a favor da aprendizagem – Use e abuse dos recursos tecnológicos que temos através do computador tablet ou celular. Alguns sites, aplicativos e jogos podem auxiliar no treino da leitura, escrita e na matemática.

Espero que tenham gostado das dicas! Lembrem-se sempre de conciliar o momento de aprendizagem/ estudo a momentos também de prazer e diversão, assim a criança estreita o vínculo com a aprendizagem e percebe prazer nesses momentos! Um abraço e até o próximo texto!

Ana Cláudia – Psicopedagoga

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp